Mapa

Voos baratos para Zimbábue

Zimbabué, depois da tempestade vem a bonança

 

Depois da agitação política, social e económica que, na primeira década dos anos 2000, afastou o turismo de um país com beleza natural que para lá atraía milhões de visitantes, o Zimbabué volta agora a ser um país com estabilidade, e o turismo, que sempre foi uma das suas maiores fontes de rendimento, começa lentamente a regressar.

 

Apesar de considerado opressivo pelos padrões Europeus, o regime de Robert Mugabe trouxe, para o País, uma nova vitalidade. Essa opressão não só não é sentida pelos turistas, como estes são, de certo modo, protegidos, pela importância que esta atividade tem na economia local. Com ótimas infraestruturas turísticas, o Zimbabué volta a ser uma boa alternativa para umas férias na natureza selvagem do coração da África.

 

Por onde começar

 

Apesar de existirem vários aeroportos no País, são três os principais: o aeroporto que serve a capital, Harare; o de Bulawayo e ainda o de Victoria Falls.

 

Se optar por aterrar em Harare, vai poder ver, na cidade e nos seus arredores, vários museus, parques e maravilhas naturais. Existem santuários da vida selvagem onde pode ver os animais bem de perto; jardins, como o jardim botânico, onde pode ver uma minifloresta tropical; e ainda vários locais para comer ou ver e comprar artesanato, principalmente na forma das tradicionais esculturas Xonas.

 

No entanto, por ser uma cidade grande, Harare tem mais criminalidade do que outras zonas do País e não está tão perto da natureza como se desejaria, pelo que normalmente, um dos outros aeroportos é melhor para começar a visita.

 

Pode então optar pelo aeroporto de Bulawayo ou pelo de Victoria Falls e aí, sim, partir sem medo pela selva africana adentro, como um Crocodilo Dundee dos tempos modernos mas com menos crocodilos e mais leões, elefantes, búfalos, hienas e zebras. Os safáris, escusado será dizer, fazem-se sempre com um guia. Este guias conhecem bem o terreno e as suas indicações devem ser seguidas à risca. Eles sabem garantir a segurança da sua viagem para que desfrute dela o máximo possível, de preferência sem trazer recordações permanentes, para além de umas fotografias.

 

Bulawayo e Victoria Falls

 

Estas duas cidades localizam-se relativamente perto uma da outra e perto do Parque Natural de Hwange. Um dos locais de eleição dos aventureiros visitantes. Existem vários alojamentos no Parque e, embora não possa contar com muitos luxos, pode lá descansar e preparar-se para a sua incursão na selva. Tem também locais para piqueniques e zonas de nascentes, incluindo uma nascente termal.

 

Em alternativa tem o Parque Recreacional do Parque Matopos, no Parque Nacional de Matobo, onde pode fazer caminhadas, andar a cavalo ou até pescar e andar de barco, numa das muitas barragens.

 

De qualquer modo, não se esqueça de visitar Victoria Falls. Estas quedas de água no rio Zambeze são das vistas mais bonitas do País e, se for corajoso, pode ainda nadar na Piscina do Diabo. Esta é uma piscina natural no topo da queda de água e implica o perigo real de, se se distrair, ser levado pela corrente e cair junto com a água, no entanto, é uma das atrações preferidas dos visitantes deste país que atravessou a tempestade e agora goza da bonança.

Os preços apresentados nesta página são apenas os preços estimados mais baixos. Encontrados nos últimos 45 dias.