Procurar

Partida

Passageiros

Classe Cabine

  • Verificar preço (novas janelas)

Voos Baratos para Noruega

Noruega, ou a imensidão gelada

A Noruega é um dos países com melhor qualidade de vida do mundo, constando nos lugares de topo de todos os rankings. Para além de questões como emprego, saúde e educação, esses índices têm também em conta vários outros aspetos como a segurança, o ambiente e o nível de felicidade da população. Para além de quem visita o país poder contar com tudo isto, a Noruega tem principalmente para oferecer vistas de cortar a respiração e um contacto direto com natureza selvagem digno de ocupar um lugar de destaque nas suas recordações para sempre.

Apesar de ser um país com várias vezes a dimensão de Portugal, a Noruega tem apenas metade da nossa população, da qual mais de um terço vive na área metropolitana da capital Oslo, sendo um dos países menos populados da Europa. Isto não é de estranhar se se tiver em conta que apenas pouco mais de 1% do País está ocupado por áreas urbanas, sendo que o restante é montanha, pasto, floresta, pântano, lagos e rios.

O País é servido por vários aeroportos, muitos regionais, por isso, a melhor opção é encontrar um voo barato para um aeroporto de Oslo, tirar um dia para conhecer a cidade e depois seguir à descoberta do país dos fiordes.

Conhecer os fiordes e as montanhas

Existem pacotes turísticos preparados para que tire o melhor da sua viagem. Muitos consistem em rotas pré-organizadas pelas agências, mas que lhe permitem a liberdade de gerir a sua viagem, sendo a condução feita por si. Escolha a que mais lhe convém e veja um pouco de tudo ao seu próprio ritmo.

Se prefere não conduzir e quer simplesmente apreciar as vistas, então o País é conhecido pelos seus caminhos de ferro, onde pode fazer fazer circuitos através das montanhas com toda a comodidade, havendo percursos para viagens de um dia, mas também percursos para viagens de uma semana.

Pode ainda optar for fazer um cruzeiro nas águas frias dos fiordes, onde vai poder ver montanhas nevadas, glaciares e remotas aldeias piscatórias, assim como vilas e cidades históricas, como Bergen, Stavanger e Flam.

Escolha o percurso que escolher, leve o cartão de memória da sua máquina fotográfica vazio e prepare-se para recolher algumas das imagens mais belas que já viu. No inverno, a beleza das paisagens geladas vai fazê-lo sentir que está no cenário de um filme do fantástico. Não é à toa que foi em Finse, servida pela estação ferroviária mais alta da Noruega, a 1222 m acima do nível do mar, que George Lucas quis filmar o planeta gelado do filme Guerra das Estrelas: o Império Contra-Ataca.

Svalbard

Se viajar até à Noruega, não perca a oportunidade de visitar Svalbard. Este é um arquipélago no Oceano Ártico, a meio caminho entre a Noruega continental e o Polo Norte, conhecido por ser, entre outras coisas, o local onde situa o maior banco de sementes do mundo, contendo sementes de aproximadamente 90% das espécies de cultivo conhecidas, alojadas num cofre subterrâneo preparado para manter a maioria das sementes durante séculos, mesmo que os sistemas que as preservam falhem.

Essencialmente uma zona piscatória, dois terços do arquipélago são parques e reservas naturais que preservam a fauna local, constituída por ursos polares, renas e mamíferos e aves marinhas. Lá pode também observar o fenómeno do sol da meia noite e experimentar a longa noite polar.

O verão

Apesar de ser conhecida pelo frio, a Noruega tem um clima mais ameno do que a sua localização geográfica pode fazer antever, contando com temperaturas entre os 20 e os 30 graus durante o mês de junho e o início de agosto. A sua longa costa faz com que existam várias praias e lagoas, muitas verdadeiramente paradisíacas, que se enchem de locais e estrangeiros à procura de aproveitar os poucos dias de sol.

Para terminar em grande, claro está, não deixe de provar o marisco e o peixe local, principalmente o típico salmão fumado, acompanhado de uma cerveja nacional. Depois, aqueça-se com uma caneca de café, a bebida preferida dos noruegueses. 

mais

Imagens por Mick Roche