Pesquisar voos

Tipo de regresso

Voos Baratos para Guiana Francesa

Guiana Francesa, a Guiana Picante

 

A Guiana Francesa, normalmente chamada apenas de Guiana, é o maior dos territórios ultramarinos de França. Localiza-se na América do Sul e geograficamente, este território é formado por duas zonas distintas: a zona costeira onde reside a grande maioria dos habitantes e a zona de floresta húmida densa e cerrada que se alonga até junto da sua fronteira com o Brasil, com o qual a região partilha a Floresta Amazónica.

 

A capital, Caiena, alberga quase metade da diversa população da região, havendo inúmeros habitantes de origem Crioula, descendentes de relações entre os antigos colonizadores e as várias etnias nativas, entre os quais se encontram descendentes dos portugueses que, no século XVII, ali passaram brevemente e também muitos brasileiros, europeus e asiáticos.

 

Para passear

 

Comece a sua visita por Caiena. A Capital fica nos bancos do rio com o mesmo nome, na costa atlântica da América do Sul, e possui alguns marcos materiais da sua história que valem a pena ver sendo o principal a Ilha do Diabo (Île du Diable), a famosa colónia penal. Para lá eram enviados, até bem recentemente (séculos XIX e XX) os prisioneiros políticos franceses. Os horrores que se viviam nesta ilha estão bem documentados no livro Papillon de Henri Charrière que conta a sua fuga (das poucas bem sucedidas) da Ilha e que foi adaptado ao cinema com o mesmo nome, numa das obras-primas da sétima arte.

 

Esta ilha, bem como duas outras ilhas (Île Royale eÎle Saint-Joseph), fazem parte dasÎles du Salut (Ilhas da Salvação) e formavam uma colónia penal em que a cada uma estava destinada um tipo de prisioneiros. Todas podem, e devem, ser visitadas, não só pelo seu valor histórico, mas pela sua beleza natural que renasceu depois das trevas. Estão acessíveis de barco desde Caiena.

 

Para ver um espetáculo da natureza

 

Há muita natureza para ver na Guiana, desde fantásticas praias a belas montanhas pelas quais pode caminhar e aproveitar o silêncio e as vistas. No entanto, é de aproveitar a oportunidade para ver um espetáculo que só se vê uma vez na vida. Se lá estiver de abril a julho, pode fazer uma viagem até ao noroeste remoto da região e ver as gigantes tartarugas marinhas a colocar os seus ovos. Ainda melhor é ver as pequenas crias de tartaruga a partirem os seus ovos e a caminharem em direção ao mar, o que acontece em julho e setembro.

 

Para provar e experimentar

 

Claro que já se apercebeu que a capital da região tem o mesmo nome que uma conhecida especiaria, a pimenta-de-caiena. Embora seja cultivada em várias regiões do mundo, o seu nome vem mesmo daqui. Mas não é só por isso que esta Guiana é picante.

 

É picante também pelo conhecido Mardi Gras, que se festeja desde o início do ano até ao Carnaval. A diversidade de festejos, de personagens e de tradições são um reflexo da multiculturalidade da Região que se une à maneira descontraída e livre de viver nas Guianas numa festa inigualável que permanece nos sentidos tal e qual como a sensação ardente da especiaria a que a zona deu o nome.

mais